Renault aposta em híbrido de 48V como alternativa ao diesel puro.

Renault aposta em híbrido de 48V como alternativa ao diesel puro.

A Renault está apostando no híbrido de 48V ou micro-híbrido como alternativa ao diesel puro e simples. A marca francesa está oferecendo uma versão da Nova Scénic com essa tecnologia, mas equipada ainda com motor diesel. No monovolume, a emissão de CO2 caiu de 100 g/km para 92 g/km.Mas, o consumo melhor bastante, passando de 25,6 km/litro na versão diesel comum para 28,6 km/litro na nova opção de 48V, que utiliza um motor de arranque com força suficiente para mover o veículo nos primeiros metros, além de regeneração de energia e bateria de lítio. O custo adicional é de € 1.160 para se obter entre 5% e 10% a mais de economia em média.No entanto, não existe outra alternativa no momento que tenha baixo custo e consigo fazer o motor diesel cumprir as novas emissão para 2021, quando a média por fabricante deverá ser de 95 g/km. Os fabricantes de automóveis precisam do diesel para cumprir essa meta, mas a emissão NOx é o problema. Assim, o híbrido leve de 48 volts surge como opção.Em carros a gasolina, ele será fundamental para reduzir as emissões de CO2, embora com um custo maior que sem o dispositivo, naturalmente. Ainda assim, as montadoras da Europa estão de olho nessa tecnologia que, em segmentos como o de entrada, seria mais viável como substituto definitivo do diesel.A Volkswagen estima entre € 600 e € 800 o custo adicional apenas em materiais para o pós-tratamento ambiental num Polo diesel, que no fim terá 25% de seu preço composto pela mecânica voltada para o óleo combustível. Por isso, ao invés de se gastar em uma versão diesel, a saída seria aplicar recursos no híbrido de 48V, mesmo porque muitas cidades europeias estão banindo ou vão banir carros diesel e os compactos com foco urbano serão os mais afetados.

2017-07-09