Volkswagen começa sua ofensiva elétrica com ID Crozz, mas foca em SUVs para o Brasil

Volkswagen começa sua ofensiva elétrica com ID Crozz, mas foca em SUVs para o Brasil

Se você é daqueles que torce o nariz com carros elétricos, redobre sua carga de paciência que o futuro promete ser chato. No Salão de Frankfurt 2017 foi um tal de carros e conceitos sem motor a combustão e, nesse embalo, a Volkswagen já avisou que terá 23 modelos 100% movidos a eletricidade até 2025. Pois é, em casa, a marca alemã confirmou que o ID Crozz, conceito de “SUV coupé” com emissão zero mostrado pela primeira vez no Salão de Xangai 2017 (em abril), será fabricado em 2020. O projeto faz parte de um investimento de 6 bilhões de euros que a VW promete para a mobilidade elétrica nos próximos cinco anos. O ID Crozz exibido em Frankfurt usa um motor em cada eixo, o que ajuda a garantir uma distribuição de peso 50/50, e cujo o envio de torque é controlado por um diferencial, também elétrico. Combinados, geram, potência equivalente a 301 cv, levam o utilitário esportivo à máxima de 180 km/h e prometem autonomia de até 500 km. O projeto tem aquelas peculiaridades de carros-conceito, como a ausência de coluna central. As portas são deslizantes e dentro o sistema de climatização é batizado de CleanAir, que promete jogar continuamente ar limpo para o interior. Há comandos de voz para abrir, fechar as portas, ligar o motor e até para escolher o modo de condução. Desta forma, a suspensão (McPherson na frente e multibraço atrás) é controlada eletronicamente. Para cumprir a promessa da frota elétrica, a linha ID de emissão zero ganhará outros membros em breve, que usarão a mesma plataforma. Em 2020, a Volkswagen promete um hatch compacto e, em 2022, o ID Buzz, releitura da saudosa Kombi. Se serve de consolo, no estande da VW em Frankfurt não tinha só o ecologicamente correto. A marca também apresentou a versão GTI da nova geração do Polo, com motor turbo de 200 cv e os tradicionais detalhes em vermelho na grade dianteira. Ao mesmo tempo, foi apresentado o T-Roc com o pacote R-Line. Nesta configuração, o SUV ganha difusores traseiros, para-choques e rodas diferenciados, teto preto, entre outros detalhes estéticos com apelo esportivo. Para o Brasil, a VW está mais preocupada em recuperar terreno do que propriamente com mobilidade elétrica. Para esta missão (atrasada), não há outro caminho a não ser investir em SUVs. No ano que vem a fabricante começa a produção do compacto T-Cross (o T-Roc do qual falamos anteriormente, não está nos planos) em São José dos Pinhais (PR), sobre a plataforma MQB, para brigar com Honda HR-V, Jeep Renegade, Ford EcoSport e cia. O modelo será inspirado no conceito T-Cross Breeze, mostrado em 2016. Outro utilitário esportivo, só que médio, virá da Argentina. A ideia é manter os preços deste futuro SUV próximos ao do Compass (que hoje começa em R$ 104 mil) e brigar sério com o modelo da Jeep, além de Honda CR-V e o futuro Chevrolet Equinox.
Fonte: primeiramarcha

2017-10-01