Volkswagen T-Cross com MQB mais barata para brigar com Creta na Índia.

Volkswagen T-Cross com MQB mais barata para brigar com Creta na Índia.

Steffen Knapp, presidente da Volkswagen na Índia, disse que a empresa está considerando lançar no mercado local, o crossover T-Cross, o menor SUV da marca alemã, que estreará em breve no Brasil. Na visão da montadora, o modelo será um concorrente direto dos Hyundai Creta e Renault Duster, produtos que também existem no mercado brasileiro.

Até agora visto como um conceito, no caso do T-Cross Breeze, o novo SUV da Volkswagen terá a missão de ser a porta de entrada da marca para o segmento de utilitários esportivos. No entanto, no caso indiano, há uma questão crucial, o preço. Para ser competitivo por lá, o modelo precisará ter um bom valor no mercado.

Assim, a primeira coisa a fazer é cortar os custos de produção. Como o acordo entre Volkswagen e Tata Motors falhou, a montadora alemã mudou a estratégia e deixará a cargo da Skoda, a tarefa de enxugar os custos de produção na plataforma modular MQB. De acordo com Knapp, o T-Cross não é esperado para a Índia antes de 2020. 

Só assim, a Skoda terá tempo para modificar a plataforma MQB A0, a fim de simplifica-la ao ponto em que seja vantajoso (para o fabricante) produzi-la localmente. O projeto já tem até nome: Eco. Assim, o Volkswagen T-Cross surgirá no mercado indiano com uma base chamada MQB Eco, que não deve ser feita fora da Índia, apesar desta abrir outra possibilidade, que falaremos mais abaixo.

Para o T-Cross indiano, espera-se por mecânicas a gasolina e diesel, onde motores como 1.0 TSI e 1.5 TDI poderão ajudar o modelo na tarefa de bater de frente com dois pesos pesados do segmento por lá. Comenta-se que na gasolina, o pequenino turbinado terá 100 cv. Ambos devem atender ao padrão de emissões “Bharat Stage 6”. Fala-se também em câmbio manual ou de dupla embreagem DSG para o SUV compacto.

No conceito T-Cross Breeze, a proposta da Volkswagen mede 4,13 m de comprimento, 1,79 m de largura, 1,56 m de altura e 2,56 m de entre-eixos. É esperado que a versão de produção tenha medidas semelhantes, provavelmente um pouco maiores em comprimento e em altura (com barras no teto, por exemplo). Nesse porte, ele se assemelha mais aos Peugeot 2008, Suzuki New Vitara, Ford EcoSport e Renault Captur francês. Ou seja, ainda daria espaço para um SUV compacto acima, que na Europa é o T-Roc.

Isso não impede, no entanto, que o T-Cross venha a ser maior em alguns mercados, como na Índia, oferecendo assim mais espaço e porta-malas. Não seria ruim também no Brasil, cujo porte maior traria mais benefícios na briga com Creta, HR-V e outros. De qualquer forma, a revelação de uma plataforma modular MQB Eco, de baixo custo, pode abrir uma possibilidade para um novo carro compacto de acesso da VW em alguns mercados, ficando abaixo do Polo. Na Índia, isso certamente ocorrerá. Um Gol MQB Eco seria interessante?

Fonte: noticiasautomotivas

2017-10-21