Volkswagen começa a tirar Jetta de alguns mercados – geração MQB chega em 2018

Volkswagen começa a tirar Jetta de alguns mercados – geração MQB chega em 2018

O Volkswagen Jetta começa a sair de alguns mercados da Europa. Na Alemanha e no Reino Unido, o sedã médio da marca germânica já não está mais disponível nos configuradores. A proximidade do lançamento da nova geração “MQB” faz com que a oferta do modelo seja gradualmente diminuída e os estoques antigos entrem em promoção para desova.
No entanto, o Jetta já vinha sofrendo queda nas vendas no mercado europeu há algum tempo. Desde 2011, 177.360 unidades foram emplacadas no continente, sendo 8.947 unidades no ano passado. Bem conservador em estilo, o sedã da VW vendeu apenas 379 exemplares este ano no Reino Unido. Na Alemanha, o modelo também não possui vendas expressivas, mas o caso não é por conta disso e sim pelo lançamento da nova geração, que ocorrerá oficialmente em Detroit.
O Novo Jetta 2019 – como será apresentado na mostra americana – terá um papel importante na manutenção das vendas de carros compactos da VW no mercado americano, que ano após ano está se dedicando mais aos utilitários esportivos. A produção ocorrerá em Puebla a partir de dezembro, segundo os mexicanos, passando a atender todo o continente e mais a Europa. A Índia pode faze-lo localmente por conta dos custos, assim como a China pode receber até duas variantes do mesmo modelo, a fim de atender FAW e SAIC.
Enquanto não chega, o Jetta 2019 já está sendo visto com mais frequência em testes de campo nos EUA. Feito sobre a plataforma modular MQB e terá em torno de 2,68 m de entre-eixos, padrão da base para modelos do grupo VW, incluindo o Skoda Octavia. Maior, o sedã mexicano tem estilo semelhante ao dos lançamentos mais recentes da marca, tendo como destaque a grade hexagonal. Já flagrado sem camuflagem, o modelo tem um aspecto que atende bem aos desejos do consumidor americano.
Apesar do novo layout, o Novo Jetta 2019 leva em consideração os custos de produção e desenvolvimento para ter preço competitivo no mercado americano, ainda mais agora que o segmento de sedãs compactos (por lá) vem caindo junto com os demais, exceto os SUVs e as picapes, é claro.
Motores 1.4 TSI de 150 cv e 1.8 TSI com 170 cv devem ser usados em diversos mercados das Américas, ficando o 2.0 TSI (EA888) para a versão GLi com algo em torno de 230 cv. O motor 2.0 TSI Gen3 de 184 cv pode ser usado também, já que é montado no Tiguan Allspace feito também em Puebla. Câmbio Tiptronic de seis marchas nas Américas e DSG de sete velocidades na Europa deverão ser as opções, além da manual.

Fonte: noticiasautomotivas

2017-11-13