GM desenvolve motor de alta compressão com dois turbos para esportivos híbridos

GM desenvolve motor de alta compressão com dois turbos para esportivos híbridos

Em tempos de carros elétricos de alta performance e esportivos híbridos, qual seria o destino de bólidos como os Chevrolet Corvette e Camaro ZL1? Parece que a General Motors já tem a resposta. A montadora americana arquivou um registro de patente bem interessante no serviço de propriedade industrial dos EUA.
O projeto da GM leva em conta uma motorização híbrida de alta performance para carros esportivos, o que significa dizer que bólidos como os citados acima, deverão entrar na lista dos que serão beneficiados pela tecnologia em desenvolvimento. Basicamente o registro fala de um motor a combustão interna de alta taxa de compressão, que trabalhará com dois turbos e um ou dois motores elétricos, que estão ausentes dos esboços técnicos desse projeto. No documento, a GM dá a entender que estes terão dupla função como geradores e impulsionadores.
Pela imagem vista na patente, a GM estaria pensando em um propulsor de quatro cilindros ou algo semelhante, que funcionaria com um sistema de variação de abertura e fechamento de válvulas eletrônico, que permitiria não só simular um ciclo Atkinson ou o ciclo normal de quatro tempos, mas também elevar e reduzir a taxa de compressão entre 11:1 e 16:1.
Mas não é somente isso. Para buscar mais força em baixas rotações e oferecer um torque elevado em uma faixa extensamente plana, sem qualquer lag, a GM propõe introduzir dois turbocompressores, sendo um de baixa pressão para as faixas iniciais de rotação e outro de alta pressão para os níveis mais elevados. Esse sistema, porém, poderia ser acionado de duas formas. Uma delas é por meio do próprio virabrequim e o outro através de um motor elétrico.
No entanto, neste segundo caso, a velocidade do rotor seria controlada por uma transmissão CVT, que permitiria ao compressor volumétrico manter a carga alta em rotação abaixo de 3.000 rpm, para evitar o turbo lag, ou em níveis elevados para manter o ritmo do propulsor. Além disso, a ECU pode acionar cada um dos compressores de forma sequencial ou em conjunto, criando diversas possibilidades de atuação do propulsor.
Por fim, ainda não se sabe qual sistema de acionamento de válvulas será usado, pois a patente demonstra não só o sistema eletro-mecânico como também o eletro-hidráulico, ambos já utilizados por outros fabricantes. O segundo, com atuadores hidráulicos, possui maior capacidade de exploração dos tempos de abertura e fechamento das válvulas, trazendo mais eficiência. Assim, poderemos vislumbrar no futuro um Corvette ou Camaro ZL1 “twin-turbo hybrid”, que poderão lançar mais de 650 cv, segundo estimativas.

Fonte: noticiasautomotivas

2017-12-27