Mini Cabrio completa 25 anos de história

Mini Cabrio completa 25 anos de história

Um dos modelos mais icônicos de todos os tempos, o britânico Mini começou a ser produzido em 1959. Mas o carrinho quase sessentão só ganhou uma configuração conversível bem mais tarde. Essa versão, então denominada Rover Mini Cabriolet, acaba de completar 25 anos.

O lançamento, feito em junho de 1993, foi motivado pelo sucesso de uma versão adaptada criada dois anos antes pela empresa alemã Lamm Autohaus. O Mini Lamm Cabriolet teve o teto extraído e suas 75 unidades venderam como água.
Com isso, o Mini Cabriolet "oficial" já chegou ao mercado envolto em expectativa. A exclusividade cobrava seu preço: a variante custava quase o dobro do valor de um Mini com capota rígida. Eram duas as combinações de cor: Azul Caribbean com teto removível cinza e Vermelho Nightfire com capota da mesma cor.

Se o motor era o mesmo quatro-cilindros de 63 cv do Mini Cooper 1.3i, a dianteira trazia uma exclusiva grade cromada e, por dentro, a cabine recebeu painel de madeira de nogueira, volante forrado de couro preto e cintos de segurança coloridos.

Segunda fase
Em 2004, quatro anos após a incorporação da marca Mini pelo grupo alemão BMW, o conversível ganhou nova geração. Revelado no Salão de Genebra (Suíça), o Mini Cabrio tinha três versões: One, Cooper e Cooper S.
As diferenças ante o hatch convencional incluíam novo desenho para os para-choques e dez tonalidades exclusivas para a carroceria.

A versão de teto removível se sagrou a mais popular do modelo no Reino Unido, respondendo por 43% das vendas. Foram quase 90 mil exemplares emplacados desde o lançamento, 86% dos quais com câmbio manual, o preferido dos britânicos.
Essa nova fase incluiu firulas tecnológicas como o Openometer, que informa ao motorista quanto tempo o veículo foi dirigido com a capota recolhida, e o Rain Warner, que monitora a previsão do tempo no entorno e recomenda que o condutor feche o teto se a chuva no trajeto for iminente.

A mais recente geração do Mini Cabrio, lançada na Europa em março deste ano, recebeu atualizações no visual, capota com acionamento elétrico e faróis e lanternas de LEDs. Há cinco opções de motor, a gasolina e a diesel, além de câmbio manual e automático.

Mercado nacional
No Brasil, o modelo é vendido desde 2009, quando a Mini começou a operar no País. Cerca de 1.400 exemplares do pequeno conversível já foram vendidos por aqui.

Fonte: Jornal do Carro

2018-10-24