Câmbio manual ainda resiste

Câmbio manual ainda resiste

Você pagaria R$ 162.900 por um carro com câmbio manual? Se você segue a tendência do mercado, provavelmente respondeu não. E saiba que a gente te entende.
Se respondeu sim, a gente te entende mais ainda.

Esse é o preço do Civic Si. O esportivo da Honda é oferecido com motor 1.5 turbo de 208 cavalos, e somente com transmissão manual de seis marchas.

Quando se olha friamente o preço, a tendência natural é achá-lo muito caro. Quando se assume o volante do carro, a gente começa a relativizar o preço. O Civic Si oferece uma tocada mais lúdica, graças à transmissão extremamente rápida e à alavanca curta.
Em suma, que gosta de dirigir gosta de câmbio manual.

Carros manuais vêm perdendo espaço no Brasil em virtude do inegável conforto proporcionado pelos veículos automáticos, especialmente nos congestionamentos. Mas os manuais resistem, e o Civic Si não está sozinho. Mesmo entre automóveis acima de R$ 70 mil (faixa de mercado na qual os automáticos dominam), há diversos modelos que ainda utilizam a caixa manual.

Na própria linha Civic, a Honda oferece a versão Sport, por R$ 91.400. Como o próprio nome da versão insinua, nesse caso o Civic tem acabamento mais esportivo, com detalhes escurecidos no lugar dos cromados das demais versões, além de câmbio manual de seis marchas (há também opção CVT).

Na linha Ford, o Focus hatch de entrada, versão SE 1.6, também é oferecido com câmbio manual, só que com cinco marchas, por R$ 78.100.

Opção de entrada nos SUVs
A Citroën acaba de lançar o SUV C4 Cactus e não abandonou a transmissão manual. A caixa de cinco marchas é oferecida nas duas versões mais baratas. Na Live (onde é a única opção), o modelo sai por R$ 68.990, preço que sobe para R$ 73.490 na Feel. Em ambos os casos, o câmbio de cinco marchas trabalha com o motor 1.6 aspirado, de 122 cv.

De acordo com a Citroën, as opções manuais deverão responder por 15% das vendas do Cactus, sendo 7% na Live e 8% na Feel.
Nos SUVs, a propósito, esse tipo de transmissão tem resistido, ao contrário do que ocorre nos sedãs médios, por exemplo (categoria na qual ele sobrevive somente no Civic).

A Jeep acaba de apresentar a linha 2019 do Renegade. E a opção manual de cinco marchas permanece na versão Sport, em associação com o motor 1.8 flexível. Nesse caso, o Jeep sai por R$ 78.490.
É o mesmo caso do Hyundai Creta, disponível com motor 1.6 e câmbio manual (seis marchas) por R$ 77.890. Ambos são bem mais baratos que o concorrente Renault Captur, que sai por R$ 82.990 na versão básica, Zen 1.6 manual de cinco marchas.

Fonte: Jornal do Carro

2018-10-30