Buzina parou de funcionar, o que pode ser?

Buzina parou de funcionar, o que pode ser?

A buzina é um dos itens mais importantes em um carro. Trata-se de único meio de aviso da passagem do veículo e não tê-la a bordo resulta até em multa. Mas, se a buzina parou de funcionar, o que pode ser?

Apesar de ser usada também como meio de reclamação ou protesto, a buzina do automóvel é imprescindível e quando para de funcionar, gera um problema grave para o condutor e risco para terceiros e pedestres.

O motivo é que muitas vezes as pessoas atravessam a rua e não ouvem ou percebem a aproximação do carro. Sem a buzina, um atropelamento e até mesmo colisão com outro carro, pode vir a ocorrer.

Buzina parou de funcionar, o que pode ser?

Embora seja um item que dificilmente dá problema ou gera queixa por parte dos proprietários de veículo, quando não funciona, faz enorme falta e gera apreensão ao volante.

Três problemas podem ocorrer. Ela pode ficar com som alto demais, muito ou parar de funcionar. Nesse caso, se a buzina parou de funcionar, o que pode ser?

As causas são várias:

Contato do volante

O volante do automóvel possui um contato elétrico ou eletrônico que permite o acionamento da buzina. É a primeira parte de um sistema de ativação do sonorizador automotivo.

Se ele for afetado por qualquer motivo e a buzina parou de funcionar, sua remoção e substituição/reparo só deve ser feita por um profissional especializado.

Acontece que em muitos carros, a buzina fica atrás do airbag ou muito próximo deste.

O volante, nesse caso, precisa ser retirado em oficina especializada ou revendedor.

Embora o manuseio da bolsa inflável esteja prevista no projeto de reparação, com o recente recall da Takata, é bom não se aventurar e deixar a troca por técnico experiente.

Fusível
Uma das causas mais prováveis para a buzina parar de funcionar é o fusível. Este pequeno item de proteção do sistema elétrico e dos dispositivos ligados a ele, pode queimar.

Isso pode ser ocasionado por uma sobrecarga no sistema, fazendo então com que o fusível queime propositalmente, a fim de proteger o equipamento.

Nesse caso, basta troca-lo – sua identificação está num esquema elétrico na tampa do compartimento de fusíveis ou no manual do proprietário – por outro compatível, para que a corrente possa novamente chegar até a buzina.

Relê

Nem todo carro conta com fusível para a buzina, especialmente aqueles com buzinas eletrônicas. Para estes, o relê pode ser a causa.

Assim, da mesma forma que o item acima, este permite a passagem da corrente elétrica exata para o funcionamento da buzina. Sua substituição se dá da mesma forma.

Basta identifica-lo no quadro de relês e troca-lo. Antes, porém, faça isso apenas se tiver certeza de que todos os outros potenciais defeitos tenham sido analisados.

O relê queimado tem de ser trocado por um de igual modelo.

Suporte da buzina
Ela está localizada na parte exterior e inferior da frente do carro, geralmente perto do para-choque, radiador ou caixa de roda.

Com a vibração e ação corrosiva da maresia no litoral ou mesmo o emprego em regiões de muita terra e lama, o suporte pode acabar quebrando.

Com o impacto nas partes fixas da carroceria, já que apenas os fios estão segurando a buzina, ela pode sofrer danos internos e vir a queimar por conta disso.

Fiação
A fiação é outro item que pode ser se a buzina parou de funcionar. No caso, pode ser a ação do tempo ou mesmo de fricção com outra parte do acabamento. No acima, o rompimento de um dos fios, pode desliga-la igualmente.

Será necessário remover parte do fio em más condições, substituindo por um novo e com conectores de proteção, nada de fita isolante.
Fonte: noticiasautomotivas

2019-07-18