ANEF: Cresce calote em financiamentos de veículos

ANEF: Cresce calote em financiamentos de veículos

Balanço divulgado nesta segunda-feira, 29, pela Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (ANEF) revela que a inadimplência nas vendas financiadas de veículos cresceu em 2015. Os atrasos nos pagamentos de contratos acima de 90 dias de pessoa física aumentou 0,8%, chegando a 6,1% no período. A alta foi ainda maior no caso de pessoa jurídica, de 1,1% em relação a 2014, representando 4,5% dos contratos.

Com relação à inadimplência da carteira CDC, foi registrado no período um aumento de 0,2 ponto percentual para pessoas físicas, totalizando 4,1%, enquanto o percentual na modalidade jurídica subiu 0,8 ponto percentual, chegando aos 4,9%.

Acompanhando o fraco desempenho da economia, os financiamentos do saldo das carteiras registraram retração de 13,3% no período. A ANEF avalia que o cenário econômico do ano passado teve forte influência na concessão de crédito para o setor automotivo. As carteiras de CDC, com R$ 177,2 bilhões em 12 meses, apresentaram recuo de 127%.

O total de recursos liberados ficou 17,3% abaixo do registrado em 2014. A redução mais acentuada se refere aos recursos liberados para pessoa jurídica, que encolheu 24,8% no mesmo período.

O leasing manteve baixa expressividade em 2015, representando apenas 2% das operações. Já os financiamentos abrangeram 53% do mercado, o consórcio correspondeu a 5% e os pagamentos à vista somaram 40% das compras realizadas no ano.

Entre os segmentos de caminhões e ônibus, o Finame registrou 66% das compras, seguido por pagamentos à vista com 16% e financiamentos com 15%. O leasing manteve apenas 1% de participação – mesmo 

nível desde 2013 – atrás da categoria de consórcio que segue a porcentagem de 2%, registrada anualmente desde 2008. Na venda de motocicletas, apenas foram registradas as modalidades de financiamento (33%), consórcio (35%) e compras à vista (33%).

Projeções
As projeções da ANEF para 2016 são de retração de 5,1% no saldo de financiamento para autoveículos e motocicletas, com previsão para R$ 173,8 bilhões. No mesmo mote, a expectativa de recursos liberados para o próximo ano ficou em R$ 87 bilhões de reais frente aos R$ 92 bilhões realizados em 2015, representando retração de 5,4%.

Fonte: radarnacional

2016-03-01